Lucchesi
topo

O único de 2019

Estamos há algumas horas da queima de fogos e eu não poderia deixar 2020 virar sem antes registrar alguns marcos que fizeram de 2019 um ano sem precedentes pra mim.

Alexandre Lucchesi na Golden Gate Bridge em San Francisco.

Conheci o Vale do Silício

Qual desenvolvedor não sonha em conhecer a terra da tecnologia?

Este ano eu tive a oportunidade de realizar esse sonho e eu posso afirmar que não importa o quanto você saiba sobre o Vale do Silício, pisar os pés lá é uma experiência única.

Andar por San Francisco é como passear na sua área de trabalho. Olhe para qualquer lugar e você vai ver algum prédio estampado com o ícone de algum software que você usa. A cidade respira tecnologia. Sério, parece que esse é o único assunto por lá. Quer você esteja na fila do mercado ou esperando para atravessar a faixa de pedestres, as pessoas a sua volta estarão falando sobre tecnologia.

Eu fiz essa viagem a trabalho, para participar da Layers Conference 2019 e de alguns eventos privados da Apple Developer Academy, mas eu aproveitei as horas vagas para visitar algumas startups (Carta, GitHub, LinkedIn, etc) e conversar com desenvolvedores, designers, líderes técnicos e CEOs.

Talvez essa tenha sido a coisa mais chocante que eu vivi por lá: trocar ideia com alguém num coffee break e, de repente, essa pessoa é o CEO do Sketch, ou uma chefe de design na Adobe, ou um ex-engenheiro da Apple. No trem para San Francisco, duas das três pessoas sentadas ao meu lado eram engenheiras de software do Airbnb, e a outra, do Twitter. É muito louco isso!

Naturalmente, depois de visitar um lugar como esse, muitas pessoas voltam pro Brasil deslumbradas (e tudo bem por isso). Mas pelo menos pra mim, o efeito foi o oposto. A percepção que eu trouxe foi a de que aqui no Brasil nós idealizamos demais as coisas lá fora e eu queria deixar registrado que:

De maneira alguma quero te desmotivar a ir pro Vale. Como eu disse, é uma experiência incrível e que com certeza te proporcionará crescimento, além de que tem grandes chances de você ser picado pelo mosquito das startups e voltar pro Brasil pilhado em abrir sua própria empresa (o que já valeria a pena por si só). Eu só queria compartilhar esse insight de que um mundo cheio de tecnologia, mas longe das pessoas que fazem sentido pra você, é um mundo sem graça, e de que talvez você seja mais capaz do que imagina.

Apple Developer Academy

Apple Developer Academy UCB

Eu me tornei mentor de desenvolvimento na Apple Developer Academy em junho de 2018 e esse ano foi a primeira vez que eu pude participar da formação de uma nova turma desde o início.

A turma ainda não acabou, caminharemos juntos ainda em 2020, mas já nesse primeiro ano eu tive a honra de ajudar algumas ideias a ganharem vida. Resumi na tabela abaixo os apps (link para App Store) e os nomes dos alunos (link para o LinkedIn, dos que eu encontrei) que eu ajudei diretamente como mentor. O mérito pelos apps é 100% dos alunos. 👏👏

AppTemaEquipe
Redemption: Save the AnimalsJogo educativo sobre tráfico de animais.Brenda Mascarenhas (designer), Anira Carolina, Débora Guerra, José Deyvid e Pedro Paulo.
PersistApp sobre vida saudável, motivação e atividade física.Vitória Corrêa (designer), Caio Azevedo, Gabriel Gonçalves, Murilo Teixeira e Paulo Victor.
Remember MeApp para ajudar cuidadores de pessoas com Alzheimer.Amanda Congiu (designer), Caio Azevedo, Eduardo Airton, Guilherme Dalosto e Pedro Paulo.

Sobre a Apple Developer Academy, a única coisa que eu tenho a dizer é que eu sou muito grato por fazer parte desse projeto que muda vidas. É um privilégio trabalhar com tantas pessoas — professores e alunos — talentosas e comprometidas com a transformação do outro.

Apple Developer Academy Conference

Apple Developer Academy Conference 2019, Campinas, SP
Acredite, eu estou nesta foto.

Em outubro, eu participei pela segunda vez da Apple Developer Academy Conference, que é um encontro anual que acontece em Campinas e reúne toda a galera que faz esse projeto acontecer no Brasil e no mundo.

Durante o evento, eu apresentei um workshop sobre o uso da linguagem Swift no backend usando o framework Vapor. Foi uma experiência bem legal que eu espero repetir nos próximos anos.

Ministrei duas disciplinas na graduação

Eu sempre tive vontade de dar aula na graduação e, em 2019, esse sonho se realizou não uma, mas duas vezes! E com disciplinas iniciais de programação que eu particularmente adoro…

No primeiro semestre do ano, eu ministrei a disciplina Algoritmos de Programação (o “de Programação” não faz muito sentido pra mim, mas okay) pros calouros e, no segundo, a disciplina Programação Estruturada, pros alunos de segundo semestre dos cursos de Ciência da Computação e Engenharia de Software.

Não tem muito o que falar sobre isso, só que preparar material, resolver a parte burocrática e corrigir listas, provas e trabalhos tomou todo o tempo livre que eu tinha. Isso, infelizmente, contribuiu para que este fosse o único post de 2019. 😅

Mesmo assim, eu espero continuar firme e forte na graduação ano que vem!

Melhorei a plataforma do Escola de Maquiadores

Ahh, o Escola de Maquiadores… Eu já falei sobre ele anteriormente (em inglês), mas se você caiu aqui de paraquedas o Escola de Maquiadores é um curso online que minha esposa ministra para pessoas que querem se tornar maquiadores profissionais.

E eu, como bom desenvolvedor (e marido), sou responsável pela parte da tecnologia. Isso inclui a área de membros, landing pages, suporte técnico, email marketing, e por aí vai.

De todas essas coisas, a parte mais complicada é a área de membros, que eu desenvolvi do zero (em Haskell, por que não?) e esse ano ganhou novas funcionalidades importantes:

Mudanças pequenas, mas que fizeram toda a diferença para as nossas alunas, e nós pudemos perceber isso no único lançamento que fizemos em 2019, que surpreendeu todas as nossas expectativas de faturamento.

Helô, world!

Conheça a Helô!

Este é o único tópico não relacionado a trabalho ou computação, mas eu precisava te apresentar essa criatura que fez do meu 2019 um ano mais alegre…

Quer ser mais feliz em 2020? Arrume um catchoro!

Migrei o blog para WordPress

Pois é! Migrei…

Esse tópico sozinho daria um post maior do que esse, mas antes de você me julgar, aqui vai a lista das tecnologias que eu usei para (re)fazer esse blog somente no último ano: Jekyll, Ghost, Hexo e Hakyll.

E se tem uma coisa que eu percebi é que eu gasto tempo demais fazendo o blog (melhorando um CSS aqui e ali, adicionando um efeitinho, etc) e tempo de menos escrevendo. Totalmente irracional, né? Pois é…

Daí, pra não cair mais nessa armadilha, eu decidi usar o WordPress, e o motivo é simples: PHP não é uma linguagem que eu acho particularmente agradável de se trabalhar, e o próprio WordPress já é uma macarronada total, então só aí a chance de eu querer “fazer o blog” diminui uns 90%.

Os outros 10% não tem jeito. Foi por eles que eu passei uma semana inteira criando um tema minimalista (espero ter conseguido) e as últimas 6 horas tentando escolher uma fonte (que provavelmente eu vou mudar). Mas pelo menos agora a tentação de mexer nessas coisas é menor.

Para 2020…

E assim eu concluo minha retrospectiva, com a esperança de que 2020 seja um ano ainda melhor que 2019. Que esse novo tempo traga mais produtividade, constância e criatividade para nossas vidas e que nós consigamos concluir os projetos que começamos com mais resultados e menos esforço.

Falando em projetos para 2020, é um objetivo meu produzir mais conteúdo sobre computação tanto em texto (blog) quanto em vídeo (YouTube). Se você gostou de alguma coisa que viu por aqui, então cadastre o seu email no box abaixo para ficar por dentro do que vem por aí.

Sem spam! Apenas um email por semana…

Feliz 2020! 🥂✨