Lucchesi
topo

O retorno das páginas estáticas: uma breve história sobre a Web

No princípio era a Web. E a Web era HTML.

Mas tudo era meio parado; um pouco estático demais, eu diria.

Faltava dinamicidade (pelo menos era o que pensavam).

Daí inventaram coisas como o PHP e, de repente, usando um servidor Web para gerar dinamicamente as páginas para cada request, foi possível ver um “Olá, Alexandre!” ao entrar nos sites.

Já pensou entrar num site e ver uma mensagem de boas vindas em seu nome? Ou perguntar qual é o seu IP e o sistema responder? E poder comentar as notícias nos sites de fofoca?

A Web dinâmica foi uma verdadeira revolução.

Novas possibilidades surgiram, como blogs, lojas virtuais, webmails e a maior parte do que encontramos hoje na Internet.

Mas você já deve ter ouvido falar que a história se repete, né?

Pois é! O que já foi a melhor opção em tempos passados frequentemente volta a ser a melhor opção em tempos presentes/futuros, e na computação não poderia ser diferente.

Acontece que surgiram novas formas (mais portáveis e escaláveis) de se adicionar dinamicidade às aplicações Web que não envolvem a montagem das páginas no servidor…

Agora nós vivemos a era da Arquitetura Orientada a Serviços.

Coisas como REST(ful) Web Services, JSON e Javascript/AJAX nunca estiveram tão na moda.

Além disso, integrar diferentes serviços ao seu site nunca esteve tão fácil.

Pode ter certeza que já existe um serviço pronto para qualquer funcionalidade que você quiser colocar no seu site:

A grande vantagem desse tipo de solução é que você ganha não só em produtividade, mas também em robustez:

Ah, tudo isso sem contar que a grande maioria desses serviços contemplam planos gratuitos muito razoáveis, que com certeza atenderão as suas necessidades em um primeiro momento.

E aí, se convenceu de que não é mais necessário gastar tempo e dinheiro usando o modelo antigo (Apache + MySQL + PHP ou similar) para ter um site ou blog completo?